15 de outubro de 2011

O quanto somos influenciados pela midia?


O verdadeiro valor


Depois de tomar conhecimento de uma nota publicada pelo Jornal The Washington Post fico a questionar o quanto somos seduzidos e mesmo influenciados pela Midia sobre o que podemos: ter, sentir, vestir ou ser?
No geral o teor da nota informa o seguinte:

Numa manhã como outra qualquer um indivíduo desce na estação do metrô de Nova York, vestindo jeans, camiseta e boné e encosta-se próximo a entrada, tira o violino da caixa e começa a tocar com entusiasmo para a multidão que passa por ali, na hora do rush matinal. 



Durante os 45 minutos em que tocou, foi praticamente ignorado pelos passantes...

Ninguém sabia, mas o músico era JOSHUA BELL, um dos maiores violinistas do mundo, executando peças musicais consagradas, num instrumento raríssimo, um Stradivarius de 1713, estimado em mais de 3 milhões de dólares.

Alguns dias antes, BELL havia se apresentado no Symphony Hall de Boston, onde os melhores lugares custaram a bagatela de mil dólares.


Tal experiência no metrô, gravada em vídeo, mostra homens e mulheres de andar ligeiro, copo de café na mão, celular no ouvido, crachá balançando no pescoço, INDIFERENTES  AO SOM DO VIOLINO.

Com isso o jornal The Washington Post, lançou um debate sobre: valor, contexto e arte, chegando a conclusão de que estamos acostumados a dar valor às coisas, quando estão num contexto.

BELL, no metrô, era uma obra de arte sem moldura, ele era um artefato de luxo sem etiqueta de grife...
Seu verdadeiro valor  deixou de ser percebido por centenas de pessoas pela falta de um aparato midiático...




Quantas vezes não acabamos fazendo a mesma coisa, ou seja, damos mais valor aquilo que vem com etiqueta, que representa uma grife famosa, ou se apresenta com sofisticação e preço mais  elevado, recomendado pela Midia? 

Depois dessa leitura me ponho a pensar nas inúmeras situações singulares, que experimentamos pela vida sem lhes dar a devida importância, o verdadeiro valor, somente porque não apareceram com uma etiqueta de luxo...


E ai mais me certifico de que precisamos urgentemente descobrir, aprender e valorizar: AQUILO QUE NÂO TEM PREÇO:
- Não se compra a percepção da musicalidade tocada...
 




- Não se compra a alegria do abraço e carinhos recebidos.
- Não se compra a afeição, nem fidelidade das pessoas.  
- Tão pouco as manifestação de afeto que nos são oferecidas, tão especiais e únicas.




- Nem aqueles momentos de puro deleite.  
- Não se compra a energia gerada pelo sol...
- Nem tão pouco a grandeza do tempo de chuva...



- Não se compra a doçura e a espontaneidade infantil.
- Tão pouco o ar que respiramos.
- Não se compra a calma do silêncio. 

 
- Nem as lições maravilhosas que a Natureza nos apresenta...

- Não se compra a imensidão do céu e do mar...
- Nem a visão de uma noite de lua...


-Tão pouco a pureza de um sorriso de criança... 
- Nem a canção do vento que passa sibilando e embaraça nossos cabelos.

- Não se compra o prazer de caminhar observando os arredores.


- Não se compra a graça dos momentos inesperados...

Precisamos urgentemente usufriur mais de tudo que está ao nosso alcance, sem preço, sem patente registrada, sem etiqueta de grife, descobrir na simplicidade a grandeza da felicidade e render graças ao Criador pelo dom da vida!!!
Regina Coeli


12 comentários:

  1. O bom da vida é conquistar o que realmente não tem preço material. Como o amor que sinto por você hehehe. TE AMOOOO. SAUDADE.

    ResponderExcluir
  2. Fico muito feliz de encontrar pessoas na blogosfera como voce. São milhões de blogs e pessoas...e como te encontrei?...dádiva de Deus...

    Uma época em que a maioria está preocupada com o "ter" e não com o "ser"...
    Uma época de puro materialismo, e são poucas as pessoas que não se deixaram contaminar por ele...

    Eu valorizo muito o espiritual, pois aprendi que só ele nos preenche. Gosto muito de coisas bonitas: casas bonitas, amo decoração rústica, adoro viagens, e outras tanta coisas que a matéria nos apresenta, mas jamais trocaria o crescimento do meu espírito por coisa materiais. O que me preenche é a caridade, a compaixão. Sentimentos e atitudes que preenchem e alegram a alma, o espírito e não o corpo.

    Que post mais lindo e profundo do mundo...espero que muitos possam desfrutar dele e levar a sua mensagem...

    Um dia lindo!
    bjs
    Liz

    ResponderExcluir
  3. Com suas palavras para nos lembrar disso sempre, o mundo será sempre melhor! Obrigada,

    Eneida

    ResponderExcluir
  4. Oi Regina!
    É um prazer dizer Olá.
    Eu amo o seu pensamento ea cada dia agradeço a Deus pelo dom da vida ...
    Que belas fotos que você colocou.
    Um grande abraço de Costa Rica,
    Zuly Castillo U.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Regina!
    Depois de ler, suspirei! Texto maravilhoso, imagens belas, reflexão sábia!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Olá Regina,
    Lindas palavras...
    Me fez recordar os tesouros que possuo. O simples que às vezes me passa despercebido, mas que sem duvida é fundamental para minha existência. Eu nada seria sem os olhares e sorrisos, abraços e carinhos dos que me cercam... Pequenos gestos que me motivam a continuar sempre...
    Agradeço pela mensagem.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Querida Regina,fiquei tão feliz com sua visita lá em casa!Tenho um grande respeito por você especialmente se tratando das TILDAS,então querida saiba que sempre é uma honra seus comentários,afinal de que uma blogueira mais gosta????hehe
    Regina,consegui finalmente concluir as 8 tildas,postei hoje e vim oficialmente lhe convidar mais uma x para um chá lá em Raminhos de pano.bjs de Fernanda

    ResponderExcluir
  8. Regina, querida amiga e mestra, esse seu post é de uma SABEDORIA enorme.

    Verdade, pq dar valor apenas ao que "nos mandam" dar valor?

    o que tem valor de verdade é isso ai: abraço, o carinho de uma pessoa que amamos, nossa família, nosso cantinho... são tantas coisas tão plenas de valor, de sentimento e principalmente amor.

    adorei seu texto, excelente!

    bom dia e boa semana para você e os seus.

    ResponderExcluir
  9. Regina, vamos ver se consigo postar, todos esses dias só lia seus posts mas não consigo deixar recados. QUERO ESSE NENÊ LINDO PARA MIM. Que criança mais linda, e com um rostinho de vida, de esperança, de vivacidade...
    Quanto aos seus textos, um mais lindo que o outro. Mas o último, em especial me tocou bastante. Acho que eu mesma seria uma dessas pessoas que passam por esses "artistas" e muitas e muitas vezes nem olho. O que a gente faz da vida né? Vemos coisas que não nos ajudam em nada e deixamos de olhar aquilo que importa e faz a diferença. Ô vida....
    Bjs grandes.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Regina! Vim agradecer sua visita e o carinho. Fiquei muito feliz em ganhar o livro, adoro as produções da Tone e vivo apaixonada pelos blogs de vcs. Seu trabalho é lindo e inspirador, quem sabe agora eu faça mais coisas tildetes, né?
    Adorei esse seu texto, as pessoas estão muito influenciadas pela mídia, pelas novelas, complicam a vida e não sabem resolver pequenos problemas do dia - a dia . Já partem pra agressão, há excesso de violência, de intolerância. As pessoas se distanciaram muito da natureza, do aprendizado que ela nos oferece e isso traz muita superficialidade. Obrigada por compartilhar um texto tão bonito, como outros que já li por aqui.
    Bjs e uma semana abençoada.

    ResponderExcluir