21 de julho de 2010

Uma pimenta que não arde

Pimenta Biquinho
Ao receber de presente da minha querida NATHÁLIA a mudinha da PIMENTA BIQUINHO é que tomei conhecimento dessa espécie de condimento, isso aconteceu no ano passado...
Já de longe ela recende a pimenta-de-cheiro e o tom vermelho bem vivo reforça-lhe a pinta de arder como fogo, porém, à primeira mordida nota-se que era só ameaça, arder...


A muda plantada em um minúsculo vaso era tão pequenininha que me fez desacreditar em seu desenvolvimento...
Fui cuidando, cuidando com muito carinho, cuidado e ela ficou assim:


Tive que me ausentar de casa por duas grandes temporadas para acompanhar a Irmã mais velha em seu tratamento e ao retornar de uma delas, só encontrei um esmirrado talinho sem folhas, mesmo tendo a plantinha recebidos cuidados diários da RITA DE CÁSSIA minha afilhada, que cobriu minha ausência...


Levei um susto e tratei logo de paparicar minha mudinha da PIMENTA BIQUINHO e redobrei minha atenção para com ela.
As poucos novas folhas apareceram e senti que a muda estava crescendo novamente...


Que alívio! A PIMENTA  BIQUINHO voltava a vida com força total!!! 
O talo ia crescendo novas folhas iam surgindo...
Não é que numa manhã ensolarada descubro a primeira PIMENTA BIQUINHO no pezinho plantado no vaso???


Alegria!!!! Palmas!!! Muita emoção!!! Que delícia!!!
Acompanhar a revitalização da minha pequena mudinha, ver a primeira pimenta amadurecer me fez muito feliz!!! 
A natureza responde ao carinho que lhe é dedicado, não tenho dúvida...


Agora transplantei a muda para um vaso bem grande e minha PIMENTA BIQUINHO está assim:
Uma flor aqui, mais uma ali, nem sei quantas surgiram, pois elas se escondem entre as folhas viçosas...
O pé de pimenta está carregadinho de flores brancas e com algumas pimentinhas ainda bem pequeninas.


Tenho ou não tenho que ficar de queixo caído com esta visão???
Deixo aqui um carinho especial para NATHÁLIA que me proporcionou essa experiência tão agradável!!!
Regina Coeli

O que aprendi sobre a Pimenta Biquinho
 

Muito graciosa, é do tamanho da pitanga e tem um biquinho na ponta, que lhe dá o nome, é de se comer aos bocados, de tão saborosa que é.
A Pimenta Biquinho é de uma variedade da espécie Capsicum Chinense discreta, suave, não arde é classificada como PIMENTA BIQUINHO, assim como os pimentões e a Pimenta Americana e Cambuci.


Os pés atingem, em média, altura máxima de meio metro.
No período de inverno, entre julho e setembro, a produção da PIMENTA BIQUINHO é bem baixa.


Em época de chuva, o cultivo cai à metade, por isso, deve-se aproveitar o verão.
Essa espécie de pimenta ainda é uma novidade, pois começou a ser plantada em pequenas hortas, em Minas e Goiás, há menos de 5 anos.


E tudo parece ter surgido de uma mutação genética espontânea da Biquinho Ardida, velha conhecida dos mineiros. As sementes destes frutos, livres de capsaicina, a substância que faz arder, foram selecionadas e reproduzidas.


Logo, essas pimentinhas apareceram in natura em Feiras Livres ou Sacolões ou no Mercado na forma de conservas em vinagre.
Elas frescas são mais versáteis, mas em conservas são mais práticas.


A Pimenta Biquinho vem ocupando espaço cada vez maior, não só nas nossas mesas, mas também no campo, onde os produtores rurais acreditam em sua cultura como alternativa de investimento.


Uma das vantagens da PIMENTA BIQUINHO sobre as ardidas é que, apesar de todas oferecerem altos teores de betacaroteno (pro-vitamina A) e vitamina C, só a PIMENTA BIQUINHO pode ser comida em quantidade suficiente para ser considerada uma boa fonte destes nutrientes.


O Cultivo da PIMENTA BIQUINHO está se difundindo com grande rapidez.
Uma das vantagens de seu manejo e cultivo é que produz rápido e em grande quantidade. Para se ter uma idéia: a produtividade por pé pode variar de mil a duas mil pimentas.


Outra vantagem do cultivo da pimenta é o fato de não ser um produto perecível, ela dura até um ano depois de colhida.
Saiba como usar a Pimenta Biquinho:
- As frescas podem ser fritas em azeite de oliva, só até murchar, polvilhadas com sal e servidas como acompanhamento de carnes de porco ou de frango.


- Tanto em conserva quanto fresca, combinam com pratos agridoces, como salada de manga, ou geléias de pimenta (pura ou combinadas com outras ardidas)
- Nas saladas de folhas verdes e ardidas, elas oferecem ótimo contraste. Rúcula, agrião e mostarda são opções saborosas.


- Em espetinhos com carne seca ou queijo coalho (se for fresca, vale grelhar)
- Simplesmente como aperitivo, pura, enrolada em fatias de presunto cru ou recheadas com pingos de cream cheese.
- Sem as sementes e picadas, podem ser usadas junto com outras pimentas ardidas para dar cor sem tornar o prato muito ardido.

Regina Coeli

18 comentários:

  1. Que maravilha querida amiga Regina!
    Me deliciei com a história da sua mudinha...quanta alegria, não é?
    Nada sabia sobre esta pimenta biquinho...fiquei com vontade e vou experimentar...pode ter certeza motivada por este seu post!
    Vim até aqui para lhe deixar um beijo gostoso por ontem ter sido o dia do Amigo e eu não tive como vir aqui.
    UM BEIJO GOSTOSO e um abraço apertadinho por nossa amizade!
    Astrid Annabelle

    ResponderExcluir
  2. Que delícia de post! Obrigada por tanta informação.
    Seu vaso de pimenta está lindo e prova que, com carinho e amor, tudo floresce e frutifica.
    Adorei ver sua primeira pimentinha

    Beijos,

    Eneida

    ResponderExcluir
  3. huumm
    Fiquei aqui sentindo o cheirinho nas narinas...dá água na boca!!!
    Meu maridão tb adora e faz coleção...sempre tem alguem dando uma para ele.
    Suas pimentas estão lindíssimas. Parabéns
    Bjks!

    ResponderExcluir
  4. Oi Regina você sempre tão doce em suas hitórias,eu não conhecia a pimenta biquinho.
    Amei seu post,muita paz.
    adoro seus post
    bjosss

    ResponderExcluir
  5. Oi, Regina!

    Adorei a saga da pimentinha, kkkk
    Sei o que é isso, pois, a poucos dias plantei várias mudinhas num canteiro, e foi com grande emoção que acompanhei o desabrochar das plantas, e como me senti alegre e eufórica quando vi surgir as primeiras flores, tão coloridas, amei. Você tem razão, a natureza responde de forma carinhosa e exuberante, quando dispensamos nossa atenção.

    Beijos
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  6. Nathália Schubert22 de julho de 2010 08:56

    Reginoca!!
    Até eu quando vi aquele galhinho esmilinguido no vaso não acreditei que ela "ressucitaria".
    Fico feliz de ver que aquela mudinha hoje se faz planta crescida e, melhor, dando frutos. Resposta aos cuidados e tempo dedicado a ela.

    Um bêju,
    Na

    ResponderExcluir
  7. Tão graciosas pimentinhas!! Um luxo para quem pode degustar! Sou alérgica a pimentas e, gosto tanto!! Sempre assim, né?
    Tenho visto essa pimentinha ultimamente no hortifrutti e comprei um vasinho para decorar a minha cozinha; dizem que espanta mau olhado!! (rs*) Gostei de saber do seu cultivo e constatar mais uma vez que é preciso de mão boa para as plantinhas se firmarem!! Beijus,

    ResponderExcluir
  8. Dindinha,
    Que aperto passei com essa pimenta.
    Não foi falta de cuidado, acho que ela sentiu saudade sua.
    Amei o post e estou doida para chegar em casa e saborear daquele pote de pimentinha que está na geladeira. Deu água na boca.
    Beijoca
    Ritoca

    ResponderExcluir
  9. Oi, Regina!
    Olha, este teu post está maravilhoso e me deu uma verdadeira aula sobre esta variedade que eu não conhecia, fora ver como você tem mão boa para cuidar de suas plantinhas. Meus parabéns!

    Gostaria de saber se posso colocar este post (com todos os créditos da autora, claro) em um outro blog que tenho chamado Movimento Natureza.
    Pode me informar lá pelo meu pedaço ok.

    beijinhos cariocas

    ResponderExcluir
  10. Cara Regina!
    Seu post está no blog Movimento Natureza. Confira abaixo:


    http://movimento-natureza.blogspot.com/

    Beth Q.
    beijinhos cariocas

    ResponderExcluir
  11. Regina
    Na última vez que fui pra Itu, na casa do meu irmão, ele tinha comprado, a pedido médico, um vidro de pimenta condimentada biquinho. Foi aconselhada essa, por não ser ardida, mas por fazer bem para quem tem pressão alta. Sabia disso?
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Adorei a matéria, aprendi mais, gosto muito de pimentas...bjs.

    ResponderExcluir
  13. Legal a sua história Regina.... Foi através de uma pequena muda de pimenta biquinho que resolvi a começar a plantar de tudo um pouco...rssrsrsr
    Estou no começo ainda e é muito gratificante ver a nossa plantinha que cuidamos com tanto carinho crescer bonita!!!!
    Depois dá uma olhada no meu blog por favor. Estou começando agora também, para acompanhar o desenvolvimento das minhas plantinhas....
    Adorei seu blog.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. BOM DIA REGINA!! AMEI A HISTORIA DA PIMENTA BIQUINHO... AMO ESSA PIMENTA, EU GOSTARIA MT DE SABER ONDE EU POSSO COMPRAR A MUDA DELA, MORO EM MARICA/RIO DE JANEIRO PROXIMO A NITEROI E ESTOU A PROCURA DESSA MUDA.. SE PODER ME AJUDAR EU AGRADECO ABRACOS.

    ResponderExcluir
  15. Ganhei uma muda no Domingo, molhei apenas 1 vez e hoje ela parece murcha. Vou mudar para um vaso maior, com composto orgânico e depois, como faço para cuidar? qual a periodicidade da rega? Precisa de muito sol?


    ResponderExcluir
  16. Adorei ler a sua história ,a muda ficou linda e a pimenta biquinho mais linda ainda!!!!! Parabéns! !!!

    ResponderExcluir
  17. Regina eu plantei as sementes e agora ela está com 20cm de altura, no entanto está ficano com ad folhas amarelo. Ela fica na janela da cozinha, não pega vento, e tem bem pouco sol direto, apenas bastante claridade.
    Você pode me orientar?

    ResponderExcluir
  18. Eu plantei sementes de biquinhos não ardidas, nasceram biquinhos bem ardidas. Como explicar isso ou tem método de plantio especial?

    ResponderExcluir