27 de setembro de 2012

Eles estão a caminho...



Pequenas doses de AMOR
Durante 26 dias dediquei de 2 a 3 horas do meu tempo para confeccionar as 10 Bonequinhas Negras e os 20 Amigos Imaginários para as crianças Quilombolas do Vale do Ribeira em São Paulo.


450 crianças serão agraciadas com Bonecas e Bichinhos de Pano, confeccionadas pelas BONEQUEIRAS SEM FRONTEIRAS, Grupo coordenado pela doutoranda Andréa Cordeiro de Curitiba, do qual me orgulho em fazer parte. Essa Ação se concretizará no final do mês de outubro.


Eu amo confeccionar Bonecas, mas assim em maior quantidade foi um verdadeiro desafio para mim, considerando que sou muito “marcha lenta”e detalhista...


Ai veio o tempo para a escolha e definição dos moldes com algumas releituras, diminuições e aumentos para se chegar aos moldes definitivos, que foram utilizados.
Outras horas para a escolha dos tecidos, dos composês, das linhas, dos enfeites que pudessem embelezar e enriquecer as roupas das Bonequinhas e o visual dos Amigos Imaginários. 


Um bom tempo foi dedicado para transferir os moldes para os tecidos, alfinetar, costurar a máquina e recortar todos eles.


Para em seguida desvirar as peças e promover a pintura dos olhos, nariz e boca das Bonequinhas, fase que demanda paciência e firmeza nas mãos. 
Mais horas para proceder ao enchimento de cada peça com fibra siliconada, etapa que requer atenção para evitar o surgimento da tão conhecida e temida “celulite”... 


Um bom tempo para fazer as costuras a mão, fixar os braços e pernas e os arremates das partes abertas de cada peça.
Então tudo vai tomando forma... Cada ação foi executada com muita calma e carinho.


Outras horas foram dedicadas para a costura a máquina das roupas de baixo e vestidos das Bonecas e a fixação dos enfeites e dos arremates feitos com costura a mão, assim como a escolha das lãs, montagem dos cabelinhos com as tranças, fixação com pontinhos invisíveis nas cabeças das bonecas, fixação das gregas (com cola de pano e bordado), viés coloridos, fuxicos e outros enfeites no corpo dos Amiguinhos Imaginários.


Finalmente, maquiagem e os retoques finais e toda a produção se torna real diante dos olhos, cansados sim, mas brilhantes de alegria por ter abraçado essa causa!!!
Para essa Ação das BONEQUEIRAS SEM FRONTEIRAS foi sugerida a confecção de bonecas negras e pardas, por acreditamos ser um caminho importante para a valorização da auto-estima e do reconhecimento da identidade afro-brasileira das crianças.



“A criança negra ou parda merece ter "a sua boneca" como seu espelho, onde possa identificar sua beleza, suas características étnicas. Através da identificação étnica com a boneca, a criança se fortalece, valoriza a si e aos seus semelhantes e reconhece, para toda a vida, suas raízes, livre de preconceitos ou estereótipos. É bom poder crescer assim.” Andréa Cordeiro 




Minha imaginação ganhou asas e voei para outras galaxias para fazer minha estreia na confecção dos Amigos Imaginários, também conhecidos como Naninhas: brinquedos de pano, não muito grandes, coloridos, alegres, para as crianças menores brincarem e dormirem junto com eles.


Ou então monstrinhos simpáticos, mais detalhados para doação aos meninos. 
Foi um verdadeiro festival de cores e acessórios: muito viés floral, sianinhas largas e estreitas, linhas de bordar coloridas, fuxiquinhos para os olhos...
Eu me diverti bastante!!!

 
Essas são 30 pequeninas doses de amor que serão distribuídas para as crianças Quilombolas do Vale do Ribeira- São Paulo.
Quer saber mais um pouquinho sobre essas Comunidades Paulistas?


Um agradecimento especial a minha irmã RITA DE CÁSSIA pela doação do custo do transporte da Fibra Siliconada, que veio de Santa Catarina para o enchimento das peças e a minha simpática vizinha EULÁLIA pela paciência em conduzir-me até a agência dos CORREIOS onde fiz a postagem da grande caixa para São Paulo e por aguardar, pacientemente, meu retorno.  


Agora sinto-me leve como uma borboleta, com o coração repleto de muita paz, pronta para alçar outros voos, em outras fronteiras!!!

Regina Coeli

20 de setembro de 2012

Um presente para aquecer...



Gesto delicado 
Depois de uma chuva abençoada para amainar a secura ambiental, a temperatura caiu aqui na cidade...
A campainha tocou já quase anoitecendo e quando fui atender tive a grata surpresa de receber aquela caixa amarela dos Correios, com um presente lá de Marília-SP encaminhado pela Amiga Virtual que tanto admiro: a ENEIDA. 


Eu descobri a ENEIDA na Blogosfera, há 3 anos atrás e daí em diante temos mantido frequentes contatos, ora para incentivar, ora para aplaudir, para aprender, para compartilhar...


Ela serviu como Fonte de Inspiração para a redação dessa postagem que você poderá conferir aqui:
Há alguns dias atrás ENEIDA solicitou via e-mail o meu endereço para fazer o encaminhamento de um presente para mim... Fiquei muito emocionada e até chorei...


Hoje foi só alegria com a chegada do regalo.
Euforia, mais emoção ao abrir a caixa, onde o carinho da ENEIDA se fez presente...
Um cartão requintado me apresentava o par de meias de lã que a ENEIDA tão delicadamente teceu para presentear-me.


Com todos os seus inúmeros afazeres ela dedicou horas de seu tempo para tecer com suas agulhas de bambu, as meias na cor do chocolate, para aquecer meus pés. 
Um gesto como esse merece todo destaque e consideração. 


Obrigada minha Amiga do Coração, você me fez imensamente feliz, minha tarde foi aquecida pelo calor de sua amizade!


Agora a noite já vou estrear meu presente, pois a temperatura caiu bastante por aqui.
Assim que terminar as Bonecas e Amigos Imaginário para as crianças Quilombolas do Vale do Ribeira –SP vou retribuir com muita alegria esse seu gesto amigo.
Pode aguardar Amiga Querida!!!


Por enquanto eu lhe ofereço essas rosas cultivadas aqui no Jardim Viçoso.
Muito obrigada minha Amiga do Coração,
Regina Coeli

Se você quiser conhecer a ENEIDA e as integrantes do Grupo MARÍLIA BAUNILHA PATCH é só passar por aqui... 
Certamente vai se apaixonar como eu...

14 de setembro de 2012

De bem com a vida.



Imperfeita sim, mas de bem com a vida!!!

No dia em eu nasci nenhuma Fada tocou minha cabeça com sua varinha mágica prevendo que eu seria uma pessoa perfeita, um modelo a ser seguido...
Muito menos meus pais, acredito mesmo que tudo que eles desejavam era que eu não chorasse tanto, que dormisse bastante e me alimentasse bem!


Como uma pessoa normal vivi as mais diferentes experiências: fui uma filha obediente e participativa, irmã companheira, aluna dedicada, amiga fiel, esposa abandonada, Mãe sujeita a chuvas e trovoadas, profissional competente, vizinha discreta, responsável por minhas despesas.


Ainda hoje  administro minha casa, providencio os consertos domésticos, faço a feira e o supermercado , viajo de quando em vez, recebo com carinho os que me visitam, zelo pelas minhas amizades, participo de encontros religiosos, mantenho inúmeros contatos virtuais, procuro sempre sanar qualquer dúvida, leio comedidamente, não dispenso uma caminhada, uma chegada ao centro comercial e ao banco, faço muitos trabalhos manuais.


Estou sempre envolvida com alguma coisa útil, por esse motivo não vejo o tempo passar.
Pedi demissão do meu trabalho após exercê-lo por 40 anos e até hoje encontro pessoas que me perguntam se não me arrependi de ter aposentado... De ter deixado um cargo executivo, um salário compatível com minhas funções, de ter optado por uma vida menos agitada, sem o estresse do corre-corre para dar conta de tudo...
Não me arrependi, mesmo!!!! Perfeita? Eu não!!! 


Mais do nunca tenho a certeza de que para se ter uma vida interessante não é necessário ter a agenda lotada, não preciso embarcar em qualquer projeto apenas visando lucros, nem estar presente a todos os acontecimentos, nem estar produzida e impecável, 12 horas por dia... 


Minha vida se tornou muito mais interessante, quando me dei conta de que esbarro em limites, sou imperfeita, mas mesmo assim posso administrar bem o tempo que disponho.
Então, hoje tenho tempo para fazer tudo, tempo para fazer nada... 
Posso usar meu tempo para sair sem hora marcada para voltar, fazer visitas mais demoradas...


Posso passar horas cultivando minhas plantas e flores e desfrutar da encantadora magia de suas cores, cheiros e sabores...
Posso usar meu tempo para procurar aquela peça exclusiva para compor a decoração da minha casa.

Tenho tempo para acompanhar meus programas preferidos... 


Dedico boa parte de meu tempo para pesquisar novidades sobre os inúmeros assuntos de meu interesse e também para aprender a utilizar as novas tecnologias
Disponho de horas do meu dia para ler minhas revistas preferidas, fazer criptogramas ou receber minhas vizinhas amigas...


Hoje tenho tempo para dedicar-me aos trabalhos voluntários.
Utilizo meu tempo para escrever a minha história registrada com muito carinho em forma de postagens no Blog FAZ DE CONTA.
Não nasci perfeita, nem desejo ser perfeita, a melhor, a mais cut!!! 


Sou responsável pela minha vida, com seus limites e imperfeições, sou livre para ir e vir....
Assinei minha carta de alforria, o tempo da escravidão ficou para trás...
Não sou mais escrava de horários, da moda, da estética, da profissão, tenho utilizado o tempo a meu favor e não contra...


Nem por isso minha vida deixou de ser interessante!
Sou imperfeita sim, mas de bem com a vida!!!
Regina Coeli

3 de setembro de 2012

Encantos da natureza


Manacá-de-cheiro
Quem não se lembra desses singelos versos musicados deixados para nós pelo  Hervé Cordovil e Mariza Pinto Coelho?
Lá de trás daquele morro / tem um pé de manacá.
Nóis vai casá e vai prá lá / Cê qué?
Eu quero te beijá / eu quero te agradá,
eu quero me casá e te levá prá lá / Cê vai?
Eu panho toda a flor do pé de manacá
e faço uma coroa prá te enfeitá / Cê qué?


A minha história com o Manacá teve início há muitos e muitos anos atrás...
Essa é uma planta amada pelo meu Pai, que também vivia cantarolando a música postada acima.
O Manacá-de-jardim (Brunfelsia uniflora) é muito perfumado, razão pela qual também é chamado de Manacá-de-Cheiro. 


Quando vejo um pé de Manacá lembro de meu saudoso Pai e meu coração se enternece, pois recordo de como ele amava essa planta!!!
Ao se aproximar do pé de Manacá a gente sente o perfume inebriante exalado por suas flores, e eu não resisto a tamanho espetáculo... 
Vejam se não tenho razão de "curtir" tanta beleza?  


Suas flores são arredondadas, ocorrem na primavera e verão, mudam de cor conforme envelhecem, começando por uma tonalidade azul-violeta, clareando até se tornarem brancas. 
É por esta razão que em um mesmo arbusto podemos ver flores de cores diferentes e apesar das flores terem vida curta, a floração é longa, surgindo durante toda a Primavera e Verão. 


Este pé de Manacá fica a uma quadra da nossa casa e deve medir pouco mais de 2 metros... Ele está carregadinho de flores!
Mas se lá detrás daquele morro tem um pé de Manacá, aqui na calçada da CASINHA VIÇOSA também tem... 

Quando mudei de Governador Valadares deixei para trás meu pé de Manacá muito lindo e isso me entristeceu...
Mas dei logo um jeito de conseguir uma mudinha para plantar na nova casa, ela era pequenininha e veio plantada em um saquinho de plástico preto.


Assim que acomodamos a mudança transplantei a mudinha e daí para frente fui acompanhando o desenvolvimento do Manacá.
Sempre faço algumas podas para educar e acomodar melhor os galhos cuja tendência é crescer rente ao solo.


Ele já floriu algumas vezes, aqui o registro de sua primeira florada.
O Manacá-de-Cheiro pode ser utilizado no paisagismo, e pelo seu excelente efeito visual pode ser plantado junto a paredes ou muros, que ganham um belo colorido e perfume gostoso.  

Meu pé de Manacá ainda está pequeno, mas cheio de viço,  tem um pouco mais de um ano de vida. ...
Eu cuido dele com imenso carinho e a cada mês ele cresce mais um pouquinho me deixando imensamente feliz!!!




Não vai demorar muito para ele se transformar num lindo arbusto, ai então vai arrancar olhares de admiração das pessoas que passarem pela rua e como eu alguém virá sentir de pertinho o aroma delicioso de suas flores roxinhas.
Como eu amo meu pé de Manacá!!!
Regina Coeli